sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Servos - Sociedade de Empenho na Recuperação de Vidas através da Oração e Serviços

julho 12, 2005 by ibps Filed under Notícias

A Imprensa Nacional lançou nesta terça-feira (12/07) seu Programa de Responsabilidade Social e a partir desta semana deixará de lançar resíduos químicos na rede pública de esgoto de Brasília (DF). Esses resíduos - como prata, fixadores, amônia, querosene, gasolina e cola - são utilizados na produção do Diário Oficial da União e do Diário da Justiça. E serão vendidos para a empresa DMS Ambiental, que os reciclará.Segundo o gerente comercial da DMS, Antonio Maurílio, alguns produtos como a prata serão reutilizados e outros, tratados, a fim de não prejudicar o meio ambiente. “Pegaremos a prata de forma líquida e a transformaremos em sólida e depois de recuperada será mandada para empresas de jóias, já as outras substâncias serão neutralizadas e, posteriormente, descartdas sem nenhum prejuízo para a natureza”, explicou.
A gráfica, de acordo com o diretor geral da Imprensa Nacional, Fernando Tolentino, despeja os resíduos no esgoto “desde 1960, quando Brasília foi fundada e o Diário Oficial passou a ser produzido na cidade”. A partir de agora, acrescentou, “daqui sairá água e a iniciativa trará benefícios para a sociedade”. O programa também prevê doação do chamado lixo administrativo - papéis, copos plásticos, disquetes - para entidades filantrópicas.
As três escolhidas foram a Servos - Sociedade de Empenho na Recuperação de Vidas através da Oração e Serviços, a Associação de Renais Crônicos de Brasília e o Grupo de Apoio Aprendizes do Amor Cristão.
Essas entidades terão um contrato semestral e a cada três meses prestarão contas à Imprensa Nacional sobre o que foi investido com a venda dos produtos. De acordo com o contrato, as entidades terão que destinar 60% do dinheiro das vendas para atividades sociais internas e 40% para sua manutenção. A presidente da Servos, Andrea Azevedo, explicou que a entidade cuida de dependentes químicos e que parte do dinheiro será usada para projetos como a reforma da unidade feminina. Atualmente, acrescentou, a Servos atende a 25 homens e apenas seis mulheres, por falta de estrutura para abrigá-las.