domingo, 26 de setembro de 2010

Observatório do Brasil ganha concurso internacional de inovação social

Cidade da Guatemala, 13 de novembro de 2009) Uma comunidade brasileira que exige a transparência no uso dos recursos públicos municipais e diminui a corrupção ganhou o primeiro lugar do Concurso Experiências em Inovação Social, organizado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), com apoio da Fundação Kellogg.

"Com a mobilização da comunidade, fiscaliza as compras do governo, prevenindo fraudes, corrupção e o desperdício dos recursos públicos, clamor de toda a América Latina", destacou a porta-voz do Comitê de Notáveis, Nohra Rey de Marulanda, na Cerimônia de Premiação realizada na Universidade San Carlos de Guatemala.

O Observatório Social de Maringá é desenvolvido pela Sociedade Eticamente Responsável (SER), organização cidadã formada por pessoas sem vínculos partidários, que fiscaliza o uso dos recursos públicos na cidade de Maringá, Paraná. O projeto opera através da sensibilização e ação cidadã e supervisiona todos os gastos. Em seus primeiros nove meses de atuação a prefeitura economizou cinco milhões de dólares.

Participaram da Cerimônia de Premiação da V Feira da Inovação Social Laura López, Secretária da Comissão da CEPAL, e autoridades da Universidade de San Carlos de Guatemala. A alta qualidade dos treze projetos representou uma difícil tarefa para o Comitê de Notáveis.

O Projeto Binacional de Investimento de Remessas , desenvolvido pelas mulheres mexicanas de Oaxaca, com apoio da Fundación para la Productividad en el Campo, A.C. (FUPROCA), obteve o segundo lugar. A iniciativa permite que as produtoras de Nopal invistam os recursos que recebem dos migrantes dos Estados Unidos na produção de alimentos típicos, os quais são exportados para mexicanos que vivem naquele país. O segundo prêmio foi dado por "sua capacidade de aumentar a renda das famílias produtoras e atrair o investimento dos imigrantes dos Estados Unidos que apoiam a ideia e buscam o retorno do seu capital".

Um projeto que permite que indígenas migrantes temporários recebam atendimento de saúde de qualidade na Costa Rica obteve o terceiro lugar. Atendimento em Saúde Integral à população indígena altamente móvil é desenvolvido em Coto Brus, pelo Área de Saúde e pela Caja Costarricense de  Seguro Social. O prêmio reconhece seu pioneirismo, já que se trata de uma instituição pública de atenção às necessidades das populações móveis das fronteiras, cuja carência na atenção à saúde e prevenção eram, anteriormente, "invisíveis".

Do lixo à reabilitação: uma esperança integradora é o quarto lugar deste ano. Na região de Coquimbo, Chile, a ONG UPASOL atende portadores de necessidades especiais rurais, cobrindo 80% dos seus custos com materiais reciclados, os quais são processados e vendidos. Foi premiado porque evita o desperdício e educa a comunidade no que se refere ao valor econômico e sua relação com o meio ambiente, além de criar oportunidades de trabalho aos portadores de necessidades especiais.

Avós argentinas que percorrem as escolas lendo para os estudantes e despertam o gosto pela leitura, obtiveram o quinto lugar. Avós contam contos é apoiado pela Fundação Mempo Giardinelli. Esta iniciativa enfrenta a perda da prática da leitura e estimula, efetivamente, nas crianças, o gosto pela leitura. Além disso, este trabalho voluntário cria novas perspectivas de interação das pessoas idosas com sua comunidade.

Seja amigo da Feira no Facebook para conhecer mais sobre estas iniciativas: VFeria InnovacionSocial.

Visite o Blog em português http://inovacaosocial2009.blogspot.com/

By Khaleb Bueno – www.expansaosocial.blogspot.com